<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d32597565\x26blogName\x3dProsavulsa\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dTAN\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://prosavulsa.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://prosavulsa.blogspot.com/\x26vt\x3d8678557149260499783', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script> Prosavulsa

domingo, abril 08, 2007

Sozinhez

Queria descobrir o mundo
escondido sob o teu paladar
desfazer os enlaces que
contornam os teus entornos
libertar a madrugada presa
em tuas vontades e
dar-te a luz

Ensejaria derreter o concreto
dos muros que te circundam
fertilizar o barro preto
em teus caminhos com sonhos,
solavancos, lágrimas e
levar-te a calma

Necessitaria incendiar os lençóis
revoltos sob tuas manhãs
escancarar as janelas
dos teus olhos fixos
cheios de perigos sutis e
revelar-te belos horizontes

Precisaria clarear os vultos
no breu da tua boca aberta
no princípio do gozo
derrubar o silêncio
entre o teu e o meu peito
descansar rígido e intenso no espelho
daquela paisagem e
bruxulear-te as velas de outro desejo

Apeteceria relembrar o arrepio
do meu corpo sobre o teu prazer
deslizar por entre teus dentes
no mesmo instante que o pratear da
lua viesse brilhar-nos uma passagem infinita
não esquecer o gosto dos teus toques e
sorver-te na tintura dos vinhos invisíveis

Buscaria compreender os labirintos
desenhados entre as estrelas do teu universo
navegar as marés que vagam
em teus mares, imprecisos e particulares
trilhar os sulcos sobre tua face e
fazer-te acreditar que nesta nossa vida
só a verdade pode libertar

(a tua distância ecoa nos vãos das minhas saudades)

11 Comments:

Blogger Ácido Poético said...

Muito bonito, Ivã. Muito bonito mesmo!

Abraço
Brunø

segunda-feira, abril 09, 2007 7:40:00 AM  
Blogger Luzzsh said...

Oi Ivã,

A última frase está escrita em todas, desde o começo....adorei!

Beijos...

quarta-feira, abril 11, 2007 7:06:00 AM  
Anonymous Aline Borges said...

Lindamente escrito.

Abs e bjos.

quarta-feira, abril 11, 2007 9:12:00 AM  
Blogger Analuka said...

Adoráveis versos!... Delicadeza generosa, cintilâncias de refinado afeto na escrita tramada com finos fios de seda, sonho e desejo!...
Vou linkar teu blog, está bem?

Abraços.

domingo, abril 15, 2007 4:28:00 AM  
Blogger Analuka said...

PRONTO! Já estás linkado lá...
Grata pela visita, apareça mais vezes... Amei o poema "Sozinhez", belíssimo, acabo de enviá-lo para uma amiga (identificando o autor, naturalmente!)... Beijinho.

domingo, abril 15, 2007 4:36:00 AM  
Blogger CeciLia said...

A saudade é uma prosa presa
nas nossas melhores lembranças.

A gente voa que voa
mas - quando vê -
(e)lá volta.

Abraço, Ivã, sempre bom te ler.

domingo, abril 15, 2007 1:14:00 PM  
Blogger Leandro Jardim said...

Rapaz, que coisa bonita!!! Saudade de vir aqui!

abraço
Jardineiro

segunda-feira, abril 16, 2007 6:22:00 AM  
Anonymous Anônimo said...

Ivã, há palavras para descrever tudo,
há arranjos de palavras para dar forma e movimento a toda descrição,
há uma alma maestrina para organizar harmonicamente esse arranjo,
feito de movimentos e pausas.
Minha alma aproveitou várias pausas para chorar baixinho e não perturbar essa sinfonia.
Quão profundo é o espelho quando se depara com outro e ambos se refletem até a dimensão do infinito.
tECo

quarta-feira, abril 18, 2007 6:48:00 AM  
Blogger Jefferson P. said...

ÓtEmo... muito bom!
Gosto de ler cada palavra que escreves.


Abrçs.

quarta-feira, abril 18, 2007 9:47:00 AM  
Blogger Mary said...

Lindo! :)

Saudades daqui...

Beijoss

sexta-feira, abril 20, 2007 1:55:00 AM  
Blogger Analuka said...

Este poema é um dos mais belos que já li nos últimos tempos, Ivã!...
Estavas inspirado pelos deuses do Amor ao escrevê-lo, é mesmo magnífico e gosto de voltar aqui para relê-lo... Beijinho alado outonal.

sexta-feira, abril 27, 2007 2:59:00 PM  

Postar um comentário

<< Home